Auto Estima: O conflito interno em nosso ser

Auto Estima: O conflito interno em nosso serComo manter a auto estima saudável em um mundo onde existem cobranças em todos os aspectos e que nos moldam em caminhos e posturas, para que sejamos aceitos ou simplesmente vistos como normais.

O consumo é um dos fatores que mais expressam nossa satisfação e desejo. Produtos variados prometem uma pele mais bonita, cabelos brilhantes, corpos sarados, tudo com o termo “Autoestima” sendo pano de fundo.

A indústria sabe muito bem por onde encontrar “a dor” das pessoas, passando a ideia que os produtos e fatores externos têm esse poder de levantar a autoestima das pessoas.

Muitas pessoas entram nesse caminho de busca, pois é mais fácil olhar para fora, para os produtos como salvadores, do que olharem para dentro e investigar a origem da insatisfação consigo mesma.

 

O significado da palavra Auto estima

Na psicologia, a palavra auto estima entende que é a avaliação que a pessoa faz de si mesma, sendo positiva ou negativa, de acordo com suas crenças.

A Imagem que constrói de si mesma, mas é aí que mora o problema. Muitas vezes o nosso Ego (Nosso eu criado a partir do que identificamos em nossos pensamentos), distorce quem somos na verdade, e nos martiriza a partir de pré julgamentos condicionados pelo próprio pensamento.

 

Uma Auto estima ilusória

O que acontece é que por mais que se tenta encobrir uma insatisfação interna com estímulos externos, estamos mascarando o problema, elevando a nossa Autoestima relacionada à matéria, ao casco, que é superficial e momentânea.

A auto estima ligada à matéria, aos condicionamentos externos é uma armadilha feroz contra nós mesmos em longo prazo.

A escravidão dos fatores ou produtos como fonte de satisfação e autoestima é o objetivo das indústrias, pois querem você dominada e dependente daquilo. Obviamente as empresas ganham milhões com essa tática.

Eu não sou contra aos produtos vendidos para a beleza e tal, e considero que a vaidade saudável é importante, até o ponto que ela não se torne parte da essência da pessoa, sua consciência.

 

A auto estima do ser

O valor que temos não precisa ser reconhecido pelos outros para nos tornarmos felizes. A desvinculação com a matéria é a chave para uma autoestima mais bem estruturada.

Quando olhamos para dentro de nós, e encontramos razões para nos amar, independente do que há fora, estamos construindo nossa felicidade incondicional.

Essa tarefa exige que nos desprendamos de conceitos destruidores, condicionamentos que nos trazem tristezas, e reflexão sobre como podemos nos transformar a partir do nosso livre arbítrio.

Deus está em nós, e a qualquer sinal de vontade maior pela aceitação e reconhecimento da vida que temos, impulsionará a ação de Deus na sua consciência de que a autoestima é o amor próprio desprendido de tudo e todos.

 

Conclusão

A nossa auto estima deve ser cultivada por valores espirituais voltados ao amor, a sentimentos elevados a prática do bem. Por mais que as situações da vida e as pessoas nos apareçam com distorções de valores, o nosso posicionamento sobre os acontecimentos trará bem estar a nós mesmos.

Nada pode nos atingir definitivamente, se estamos conscientes que o poder do ser está nossa consciência. Antes de vivermos como seres humanos, somos uma centelha divina de consciência aprisionada em nossos valores baixos.

Veja também:

 

Grande abraço e caso tenha gostado do artigo, peço que compartilhe no Facebook

Compartilhe se Gostou do Artigo
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  
  •  
  •  

Sobre o autor (a) | Website

Meu nome é Fabio Alves, e criei o blog https://opoderdoser.com/, com o intuito de compartilhar conteúdo sobre desenvolvimento pessoal e autoconhecimento, além de dar espaço para profissionais da área fazerem o mesmo. Muito Obrigado por você estar aqui

RECEBA 100% GRÁTIS em seu E-Mail um PDF sobre THETAHEALING e Novas Atualizações de Artigos 

100% seguro.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe um comentário

*

Seja o primeiro a comentar!